Número: 3.3 - 5 Artigo(s)

Artigos Originais

Avaliação do quadro de estresse metabólico em ratos Wistar intoxicados com Aflatoxina B1

Avaliation of the stress metabolic in Wistar rats intoxicated with aflatoxin B1

Rosângela Aguilar da Silva; Rinaldo Henrique Aguilar-da-Silva

. 2015;3(3):01-07

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

As aflatoxinas são metabólitos secundários produzidos pelas espécies do gênero Aspergillus (A. parasiticus, A. flavus, A. nomius). Esses fungos são contaminantes naturais dos alimentos e suas micotoxinas podem causar várias doenças no homem e nos animais, constituindo um fator de risco importante para o carcinoma hepatocelular. A aflatoxina B1 (AFB1) exerce seus efeitos após conversão hepática em AFB1-epóxido, pela ação de enzimas do citocromo P-450, o qual reage com macromoléculas celulares, incluindo proteínas, RNA e DNA. O presente trabalho teve como objetivo avaliar, por meio de análises bioquímicas e morfológicas, os efeitos da administração da AFB1 em ratos Wistar machos. Os animais receberam uma dose diária de 0.25 mg/Kg de peso corpóreo durante 10 dias. Em seguida, os ratos foram sacrificados; o sangue e o fígado foram coletados para as análises bioquímicas e morfológicas. Os resultados referentes as análises do sangue não mostraram diferenças estatisticamente significativas para glicose, creatinina, ácido úrico e função hepática, quando comparadas com o grupo controle. Entretanto, a atividade da superóxido dismutase, a capacidade antioxidante do plasma, e os níveis da glutationa reduzida e grupamentos sulfidrila, foram significativamente diferentes dos grupos controles. Em relação à análise morfológica, a avaliação macroscópica não revelou anormalidades hepáticas e, na microscopia, observou-se ausência de infiltrado inflamatório e presença de raros hepatócitos, Esses resultados evidenciam a presença de estresse oxidativo em um modelo sub-crônico, o que torna preocupante a exposição à AFB1, ainda que a níveis baixos.


Palavras-chave: Intoxicação, Aflatoxina B1, Estresse Metabólico, Ratos Wista

Monitoramento laboratorial para epstein-barr vírus e citomegalovírus em pacientes submetidos ao transplante alogênico de células-tronco hematopoiéticas

Laboratory monitoring of epstein-barr virus and cytomegalovirus in patients submitted to allogeneic hematopoietic stem cell transplant

Luciana Cristina Fagundes Gequelin; Maria C. D. Rossa; Irina N. Riediger; Luine R. Vidal; Ana Perola Drulla Brandão; Alexander W. Biondo

. 2015;3(3):1-5

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

As infecções virais mais comuns após transplante estão relacionadas ao Epstein-Barr vírus (EBV) e ao Citomegalovírus (CMV). O EBV está envolvido em uma complicação conhecida como desordem linfoproliferativa pós-tranplante (PTLD). E a infecção por CMV é ainda uma das grandes causas de mortalidade pós-tranplante de células-tronco hematopoiéticas (TCTH). O monitoramento dessas infecções por PCR em tempo real quantitativo (qPCR) para EBV e a antigenemia para CMV são atualmente as melhores ferramentas no manejo clínico dos pacientes imunossuprimidos. Durante o período de julho de 2009 a julho de 2010, um total de 51 pacientes foram monitorados prospectivamente. O qPCR e a antigenemia foram realizados em 601 amostras. Ao todo, 15 pacientes (29,4%) tiveram resultados detectáveis para o EBV em, pelo menos, uma amostra. Já para CMV, foram encontrados 17 pacientes (33,3%) com resultados detectáveis. É fundamental determinar a presença de infecção ativa em pacientes com imunidade comprometida para melhorar o acompanhamento e evitar complicações graves relacionadas a esses vírus.


Palavras-chave: Herpesvirus Humano 4; Citomegalovirus; Transplante de Células-Tronco Hematopoéticas

Pré-diabetes: a relevância clínica de um importante marcador de risco

Prediabetes: the clinical relevance of an important risk marker

Heloina Lamha Machado Bonfante; Marianna Novaes da Costa Avila; Luciana Miranda Marcon; Carolina Andrade Pedrosa; Helen de Oliveira Gonçalves Prince Soares; Lizia Marina Fonseca Reis; Ulisses Pereira Mendonça; Alexandre dos Reis Barreiros; Mayssa Porto Araújo de Andrade

. 2015;3(3):1-6

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

O termo pré-diabetes refere-se a indivíduos com glicemia de jejum alterada (GJA) e/ou tolerância a glicose diminuída(TGD) e que possuem risco aumentado para diabetes mellitus tipo 2. Embora em ambos os casos exista alto risco de desenvolver diabetes e doença cardiovascular, eles manifestam alterações metabólicas distintas. Grandes estudos prospectivos randomizados com intervenção no estilo de vida e/ou várias formas de tratamento farmacológico demonstraram sucesso nos resultados, prevenindo ou retardando a progressão para o diabetes. Várias opiniões sobre condutas em pré-diabetes permanecem controversas, tais como o papel da farmacoterapia e quando considerar esse tratamento. Modificações do estilo de vida devem ser considerados um método ideal de prevenção devido aos efeitos benéficos sobre o risco cardiovascular assim como benefícios relacionados a perda de peso e melhora na dieta. Entretanto, a aderência a longo prazo de tais intervenções permanece um fator limitante para sua ampla implementação, podendo a terapêutica farmacológica ser uma importante abordagem para prevenir diabetes tipo 2 em indivíduos cujas intervenções no estilo de vida falharam ou não foram suficientemente potentes ou possíveis. Nesta revisão, nós reportamos alguns trabalhos envolvidos na identificação e tratamento do pré-diabetes, interpretando os dados disponíveis que poderão nos auxiliar na condução desses casos.


Palavras-chave: Estado Pré-Diabético; Hiperglicemia; Prevenção de Doenças

Estudo experimental de análise da esterilidade na reutilização de bisturi harmônico

Experimental study on the analysis of sterility in the reuse of harmonic scalpels

Cristiane das Graças Alves Uyeno

. 2015;3(3):1-8

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

O bisturi harmônico é um instrumento utilizado em videocirurgia, que realiza o corte e a coagulação de tecidos. Na tentativa de reduzir custos relacionados ao emprego de artigos de uso único, várias instituições, de distintos países, têm adotado a reutilização desse item. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia do processo de esterilização na reutilização do bisturi harmônico. O corpo amostral partiu de 30 unidades de bisturis harmônicos de dois fabricantes distintos. O inóculo utilizado para a contaminação constitui-se de suspensão (a) Geobacillus stearothermophilus e (b) Bacillus atrophaeus var. niger, na forma esporulada, acrescido de sangue de carneiro desfibrinado estéril. Os dois grupos foram submetidos ao processo de desmontagem, fase essencial para o processo de limpeza. As amostras remanescentes mostraram que, nas condições desse experimento, refutaram a hipótese inicial da pesquisa, quanto à segurança na reutilização de bisturis harmônicos, pois detectou-se a presença de adesão bacteriana, a qual remete ao risco eminente de infecção de sítio cirúrgico.


Palavras-chave: Esterilização; Reutilização de Equipamento; Infecção Focal

PEEP versus aspiração convencional na remoção de secreções em pacientes sob ventilação mecânica invasiva

PEEP versus conventional aspirations in removing secretions in patients under mechanical ventilation

Bruno Rabite Dornelas

. 2015;3(3):1-8

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

OBJETIVO: Verificar o efeito da PEEP na remoção de secreções, na saturação de O2, na pressão arterial e na frequência cardíaca de pacientes sob ventilação mecânica invasiva quando comparada à aspiração convencional. MÉTODOS: Foi coletado as variáveis hemodinâmicas FC, SpO2, PAS e PAD antes e após a aspiração endotraqueal e manobra de PEEP/aspiração assim como a pesagem da secreção removida de pacientes de ambos os sexos que se encontravam na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus/JF que após a ausculta pulmonar apresentavam roncos. RESULTADOS: O valor médio da FC antes da realização da técnica de aspiração isolada foi de 89,8 ± 0,02 (média ± erro padrão), após aspiração 99,5 ± 0,02, após a realização da manobra de PEEP/aspiração 89,2 ± 0,02. A média SpO2 inicial foi de 0,95 ± 0,02, após aspiração 0,98 ± 0,02 e após manobra de PEEP/aspiração 0,987 ± 0,02. O peso médio após PEEP/aspiração foi 23,4 ± 0,02 e pós aspiração 21,5 ± 0,02. O valor na PAS e (PAD) inicial 122 ± 0,02 (79,5 ± 0,02), pós aspiração 131 ± 0,02 (82,0 ± 0,02) e pós PEEP/aspiração 125 ± 0,02 (80,8 ± 0,02). CONCLUSÃO: Os resultados indicam que a utilização da PEEP associada à aspiração para a remoção de secreções mostou-se mais efetiva, além de ter possivelmente colaborado para melhores padrões hemodinâmicos quando comparada a manobra de aspiração isoladamente.


Palavras-chave: Fisioterapia; Respiração Artificial; Respiração com Pressão Positiva

Logo GN1