Número: 5.5 - 4 Artigo(s)

Artigos Originais

Avaliação da capacidade funcional pós Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Functional Capacity Assessment after Stroke

Zaqueline Fernandes Guerra MSc; Carla de Morais Eduardo; Pérsio Ramiro Moreira Vieira Júnior; Priscilla Alvim Soares

. 2017;5(5):1-5

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

FUNDAMENTAÇÃO: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é um dano neurovascular que pode causar deficiências e limitações de tarefas, resultando em dependência funcional com impacto negativo na qualidade de vida. A capacidade funcional pode ser avaliada através de várias escalas e questionários, como a Escala de Katz, originalmente destinada a avaliar a capacidade funcional em idosos. OBJETIVO: Identificar a capacidade funcional de indivíduos pós AVC em estágio inicial de um protocolo de tratamento fisioterapêutico. MÉTODOS: Trata-se de estudo descritivo e transversal, com amostra de conveniência de indivíduos com o diagnóstico clínico de AVC e no início de um protocolo de intervenção fisioterapêutica. Foram excluídos indivíduos com deficiências cognitivas graves. Os itens da Escala de Katz foram investigados juntamente com os voluntários e/ou seus acompanhantes. RESULTADOS: Foram avaliados 14 voluntário, sendo 78,57% deles do sexo masculino. A média de idade entre os participantes foi de 59,8 ± 12,2 anos. A média do escore da Escala de Katz foi de 0,93 ± 1,49, com Índice de Confiança 95% (IC95%) de 0,06 a 1,80, sendo o erro padrão de 0,40. As áreas de funcionalidade com maior dependência na amostra foram o vestir-se e a continência urinária, seguida das transferências e uso do sanitário. CONCLUSÃO: A Escala de Katz pode ser sugerida com instrumento de avaliação da capacidade funcional de indivíduos pós- AVC, sendo necessários, no entanto, outros instrumentos para se medir a magnitude das deficiências que possam causar as limitações de tarefas apontadas pela escala.


Palavras-chave: classificação internacional de funcionalidade, acidente vascular cerebral, fisioterapia.

Avaliação da microdureza knoop de cimentos resinosos fotoativados por diferentes modulações

Evaluation of the Knoop Microhardness of Resin Cements Photoactivated by Different Modulations

Laura Firmo de Carvalho; Gabriela do Nascimento Sundqvist; Diogo de Azevedo Miranda

. 2017;5(5):1-5

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

INTRODUÇÃO: Com a inovação de técnicas e evolução dos materiais odontológicos, a indicação clínica das cerâmicas de baixa espessura pode ser feita com maior previsibilidade e confiança. Atualmente, cerâmicas de alta resistência tem sido confeccionadas com espessuras entre 0,3 e 0,5 mm, que são chamados de laminados cerâmicos ou lentes de contatos dentais. OBJETIVO: Avaliar a microdureza knoop da superfície de topo de dois cimentos resinosos: NX3 Light Cure(Kerr) e RelyX Veneer (3M ESPE), utilizados para a cimentação de lentes de contato, polimerizados por dois diferentes métodos de fotoativação.(High e soft) MÉTODO: Foi confeccionado um disco (0,3mm de espessura e 8 mm de diâmetro) de cerâmica IPS Empress e-max na cor B1. Sobre uma placa de vidro, foi colocada uma tira de poliéster e, em seguida, foi posicionada uma matriz cilíndrica de teflon com 6mm de diâmetro e 1mm de espessura, obtendo 40 corpos de prova (n=10). RESULTADOS: Independente do modo de fotoativação testado, o cimento Relyx Venner apresentou valores de microdureza significativamente maiores em relação ao cimento NX3. Outro resultado apresentado é que independente do cimento resinoso testado, o modo de fotoativação High obteve valores maiores em relação ao modo Soft. Em todas as análises foi considerado o nível de significância de 5%. CONCLUSÃO: Independente do modo de fotoativação testado, o cimento RelyX Venner apresentou valores de microdureza significativamente maiores em relação ao cimento NX3. Além disso, independente do cimento resinoso testado, o modo de fotoativação High obteve valores de microdureza maiores em relação ao modo Soft-Start.


Palavras-chave: Cimentos de Resina; Testes de Dureza; Cerâmica

Enxerto ósseo homólogo na reconstrução maxilar para reabilitação de paciente fissurado com implante dentário

Bone Allografts on Maxillary Reconstruction for Oral Rehabilitation with Dental Implants in Cleft Lip and Palate Patients

Plínio Campana e Souza, Mayra Mattos Gomes, Hugo Chaves de Oliveira, Mateus Antunes Ribeiro, Hugo Leite Rodrigues Neto, Rodrigo Guerra de Oliveira

. 2017;5(5):1-5

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

FUNDAMENTAÇÃO. A reabilitação oral de pacientes fissurados é um grande desafio a Odontologia devido às opções de reabilitação convencionais (próteses parciais fixas ou removíveis). OBJETIVO. Relatar um caso de um paciente fissurado submetido a procedimento de enxertia com osso homólogo para posterior reabilitação com implantes dentários. MÉTODOS. Homem, 24 anos, fissurado apresentou-se para reabilitação com implante osseointegrável. O paciente apresentava elementos decíduos 52 e 53 e agenesia do 12°, além de grave defeito ósseo maxilar na região da agenesia, contudo sem apresentar fístula oronasal (fenda pré-forame unilateral). Realizou-se esvaziamento do canal incisivo e preenchimento com osso liofilizado inorgânico GEN-OX® (BAUMER). RESULTADOS. O defeito maxilar foi preenchido com osso homólogo. O complexo enxertivo foi coberto por membrana de colágeno GEN-DERM® (BAUMER). CONCLUSÃO. Dentro das limitações desse estudo, pode-se concluir que os procedimentos de enxertia em pacientes fissurados apresentam grande taxa de sucesso cirúrgico, fornecendo bases fortes para uma reabilitação oral plena, dos pontos de vista funcional, estético e social, promovendo maior satisfação do paciente.


Palavras-chave: implantes dentários, cavidade oral, enxerto ósseo.

Preservação do rebordo alveolar: uma revisão sistemática

Alveolar Ridge Preservation: A Systematic Review

Leonardo Moreira Sad; Joana Cardoso Valle Haddad; Daniele da Costa Lourenço; Mariana Silva Nunes; Leonardo Picinini; Rodrigo Guerra de Oliveira

. 2017;5(5):1-6

Resumo PDF PORT PDF ENGLISH

INTRODUÇÃO. Doença periodontal, patologia periapical e traumatismo mecânico frequentemente resultam em aumento da perda óssea antes da extração dentária. Além disso, a extração traumática é também associada à perda óssea adicional. OBJETIVO. Verificar por meio de uma revisão sistemática o efeito da preservação do rebordo alveolar comparado à cicatrização não assistida. MÉTODOS. Foram analisados os mais relevantes estudos publicados originalmente na língua inglesa, durante os últimos 5 anos (outubro de 2008 a setembro de 2012) , tendo como referência as bases de dados MEDLINE (National Library of Medicine). Objetivando selecionar os estudos de maior evidência científica, foram identificadas revisões anteriores, que tiveram seu escopo atualizado e revisado, além das revisões sistemáticas com ou sem meta-análise. A estratégia de busca utilizou as seguintes combinações de palavras-chave: bone preservation regeneration AND dental implant. RESULTADOS. Foram identificados 247 artigos. Contudo, após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, 71 foram selecionados para revisão por pares. Os artigos selecionados, foram julgados por dois revisores independentes que, utilizaram como referência, os níveis de evidências sugeridos pelo PUBMED, sendo elegíveis para análise 17 artigos. CONCLUSÃO. Considerando a similaridade dos resultados encontrados na pesquisa, entende-se que há vantagens substanciais quanto à adoção das técnicas de preservação assistida em relação a não assistida.


Palavras-chave: Tooth extraction; Bone resorption; Implant site development; Bone substitute; Bone regeneration.

Logo GN1